comparação entre investimentos

Poupança x Tesouro Direto

Poupança ou Tesouro Direto

Poupança ou tesouro direto? É comum surgir essa dúvida entre as pessoas que desejam investir, pois são aplicações que possuem baixo risco. No entanto, qual das opções é a melhor?  Saber escolher o investimento certo é muito importante e em médio e longo prazo faz toda a diferença.

A poupança há muitos anos é considerada a “queridinha” quando o assunto são finanças pessoais.  Segundo o Banco Central são mais R$ 640 bilhões aplicados. Este número impressiona bastante, mas o que chama a atenção também é que uma parte da população não conhece outra forma de investimento que possua ganhos mais elevados.

Outra modalidade de investimento é o tesouro direto ele é semelhante à poupança, porém a sua rentabilidade é maior. Para ajuda-lo a decide qual desses investimentos é o melhor para você observe.

Poupança ou tesouro direto qual escolher?

investimento em trading esportivo

Se você investi dinheiro na poupança deve ter em mente que fazer esse tipo de investimento é mesma coisa de deixar o dinheiro de baixo do colchão. O ideal é procurar outra opção rentável, como o tesouro direto. Saiba mais sobre investimentos de trader esportivo que também tem excelentes rendimentos.

Ao fazer uma comparação entre os investimentos é possível perceber que são aplicações de renda fixa e que oferecem uma forma segura de fazer o seu dinheiro crescer.

No entanto, mesmo sendo semelhantes à poupança é considerado um dos piores investimentos de renda rixa que alguém pode fazer por conta do seu rendimento, mesmo assim continua sendo a aplicação querida dos brasileiros.

Isso acontece pela falta de informações sobre outras formas de investimento. A aplicação do dinheiro na poupança é uma cultura que precisa ser mudada. Portanto, faça com a maioria das pessoas estão fazendo busque mais conhecimento sobre o tesouro direto e poupança para aplicar melhor o seu dinheiro e ganhar mais.

Rentabilidade da Poupança e do Tesouro direto

A rentabilidade da poupança é estabelecida pelo o governo. Por canta disso ela funciona assim:

  • Supondo que a taxa Selic é maior ou igual a 8,5% ao ano, o seu rendimento será 0,5% ao mês + TR (taxa referencial).
  • Se por acaso a taxa Selic fique abaixo de 8,5% ao ano, o seu rendimento será de 70% da Selic + TR.

Então levando em consideração a taxa Selic atual, de 6,50% ao ano, o rendimento da poupança fica em torno de 4,55% ao ano. Em relação ao ganho real isso é desconsiderar a inflação acumulada de 2,76%, o retorno efetivo é apenas 1,79% ao ano.

Já o tesouro direto a sua rentabilidade é próxima do CDI, o benchamark da renda fixa. No entanto, varia de acordo com cada titulo escolhido que é subdivido em três partes:

Atrelados à inflação:

Esse investimento paga uma taxa fixa mais o IPCA do período, para você entender melhor, observe o exemplo, 4,0%+IPCA. Conhecidos como Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com juros semestrais.

Títulos prefixados:

São títulos que possuem uma taxa anual fixa, por exemplo, 10% ano. Com os juros da economia esse titulo pode ser vantajoso, ele é oferecido com tesouro direto prefixado e tesouro prefixado com juros semestrais.

Títulos indexado com a taxa Selic:

O rendimento deste título está atrelado à taxa básica de juro. Por conta disso, ele é considerado um dos melhores investimentos onde é possível acompanhar o rendimento dos títulos no mercado.

Com ele os investidores ganham exatamente os 100% da taxa Selic daquele período.

Então fazendo uma comparação entre a poupança ou o tesouro direto, levando em consideração que o  CDI ficou acumulado em torno de 8,10% a caderneta apresenta rendimentos baixos.

Considerando o ganho real, os títulos podem retornar cerca de 5,0% ao ano, isso significa que são mais de 3% que vem diretamente para você. Ao calcular a poupança, você percebe que está deixando de ganhar quase o dobro que o tesouro direto oferece.

O resultado é mais perceptível em médio e longo prazo, quando ele conta com os juros compostos e taxas maiores.

Conclusão

É comum fica em dúvida entre poupança ou tesouro direto, porém como você observou as duas opções de investimentos são conservadoras, mas o tesouro direto rende mais em comparação com a poupança.

Não deixe o Dinheiro Acabar com o seu Relacionamento

Vários estudos apresentam as dificuldades financeiras, a relação de casal como a causa mais frequente de separações, muito mais do que a infidelidade, as tarefas do lar ou dos problemas sexuais.

Os problemas de dinheiro afetam diretamente a relação de casal, devido a que aumentam o isolamento, o stress relacionado com o trabalho, a baixa auto-estima e depressão.

O dinheiro dentro de uma relação é um assunto delicado, difícil de falar e difícil de fazer. Muitas pessoas pensam que não se deve misturar amor com dinheiro, mas no caso de uma relação sólida e que planeja crescer com o tempo, é muito importante deixar esse assunto bem claro, para evitar depois de mal-entendidos.

O dinheiro é um assunto tabu dentro do casal, e, no entanto, a única maneira que não danifique uma relação é tirá-lo à luz claramente. Falar e discutir sobre as finanças entre os dois é necessário e, no momento em que se faz, a tensão desaparece instantaneamente, não importa a gravidade da situação.

Se os problemas econômicos estão afetando sua relação de casal, siga as seguintes dicas e começará a se sentir mais tranquilo em seu relacionamento, mesmo que a situação econômica seja a mesma.

Na comunicação:

– É importante falar de como você deseja lidar com o dinheiro e os modelos com que cada um foi educado em sua casa.

– Interésate sobre a economia da família. Sabe e entende-se que a situação econômica se encontram.

– À medida que o relacionamento avança e os temas do casal são mais íntimos, se podem abordar temas como custos, redução de custos, dívidas, necessidades, etc.

– Não faça valer o seu dinheiro quando você não está falando de um assunto específico. “Eu sou aquele que traz o dinheiro para casa”, “Sai do meu bolso”, “Não valorize o dinheiro, porque não sais a ganártelo”, “Eu trago mais, depois eu decido”. São frases muito dolorosas que podem fazer perigar uma relação se são ditas em um contexto inadequado.

– Evita a dependência econômica-emocional. O melhor é que trabalhem as duas partes, mas no caso de que não se pode premiar o trabalho em casa com um subsídio mensal para as despesas pessoais.

Em o fazer:

– Sente-se a desenhar com o seu parceiro, uma tabela com os gastos fixos que pressupõe viver juntos. A declaração de rendimentos, os serviços, as saídas, a comida. Deste modo você terá uma visão clara do que é necessário e como distribuir.

– Contas bancárias. Uma conta bancária comum é muito confortável. Ambos fazem suas contribuições mensais, e se apenas um membro do casal trabalha, a outra pessoa tem acesso a sua conta e pode conhecer o estado atual da situação econômica.

– Créditos e hipotecas. Ter uma hipoteca juntos é como ter um filho. Vão passar cerca de 20 anos antes que ele desapareça. Quando se assume um compromisso dessas dimensões, há que falar-muito bem, muito devagar, e durante vários dias. Há que esclarecer como é que você vai pagar, e o que acontece se um dos dois ficar sem trabalho ou se divorciam.

– Despesas pessoais: em caso de que tudo se ponha na mesma conta, é necessário consultar ou contar com o outro na hora de fazer um gasto pessoal significativo.

– Sempre a poupar 10% do que cada um recebe e em tempos de crise, reinará a tranquilidade em casa.

– Agendamento de reuniões a cada certo tempo (mensal, trimestral, semestral, anual) para falar sobre as mudanças necessárias para fazer com relação ao dinheiro.

Lembrem-se, o mais importante é que prevaleça o amor, a ajuda mútua e a cooperação do um ao outro como casal e líderes de uma família.

Yesss!! Tenho um Blog! Bem-vindos..

Já tenho um blog! E aqui espero compartilhar este percurso pelo mundo de pessoas mais velhas que eu tenho o privilégio de viver.

Segue comigo a cada dia esta intensa experiência que combina inovação, investigação, perícia, casos reais e, sobre tudo, minha paixão por nossos idosos.

Amo a todas as idades!! Acompanhe meu blog, e veja notícias sobre saúde, bem-estar, negócios, entretenimento, viagens.. e muito mais!!